A alegria como desafio de fé

A alegria como desafio de fé
leia mais

 O Papa Francisco pede na sua Exortação Apostólica Evangelii gaudium, que os cristãos tenham alegria. Este é realmente um grande desafio para a fé. Pois não se trata de uma alegria qualquer, mas de uma alegria que está na raiz da fé crista. Uma alegria que permanece mesmo diante das tribulações, pois ela está fundamentada na certeza que brota da fé. Por isso, o Papa escreve: “é preciso permitir que a alegria da fé comece a despertar, como uma secreta mas firme confiança, mesmo no meio das piores angústias”[1]

A oração

A oração
leia mais

Se você consegue reservar um tempo exclusivo para Deus, parabéns, pois isto é considerado uma conquista. Hoje em dia, cada vez mais, é preciso travar uma luta diante de tanta concorrência. Mas para quem tem fé, estar em oração deveria ser o principal momento do dia, pois é o momento dedicado ao que é essencial, ao que preenche o existir, e dá sentido para vida.

A vocação suprema do homem

A vocação suprema do homem
leia mais

Em Gn 1,26, Deus decide criar o homem à sua imagem e semelhança. A história da salvação nos mostra que Deus cria uma criatura que lhe é conforme e que possa relacionar-se com Ele. A humanidade é criada como parceira de Deus. Assim o homem é criado como distinto de Deus e em relação com Ele. Deus criou um “tu” que pudesse lhe responder. Uma criatura livre que fosse seu interlocutor. Na história, Deus revela-se a si mesmo e convida o homem à comunhão. Deus fala ao ser humano como amigo, não só em palavras, mas em gestos e ações. A nossa resposta a Deus é a fé, ela é a maneira que temos para dar ouvidos a um Deus que fala conosco.

O horizonte infinito do ser humano

O horizonte infinito do ser humano
leia mais

Uma das maiores características do ser humano é a sua capacidade de transcendência. Esta capacidade faz com que estejamos abertos ao que está além de nós. Isso é possível, porque também fazemos experiência da nossa própria interioridade (subjetividade). Mesmo quando nos deparemos com algo que é “estranho”, ainda assim somos capazes de expressá-lo, pelo menos em forma de pergunta. O ser humano ao se deparar com a sua finitude (origem e fim), ele a ultrapassa, visualizando-se e manifestando-se como um ser de infinitude, percebendo-se como ser transcendente, ou seja, como espírito.

As pessoas livres incomodam

As pessoas livres incomodam
leia mais

Quanto mais uma pessoa é livre mais ela incomoda. Quem é prisioneiro de si mesmo pode ficar absolutamente incomodado quando encontra alguém capaz de ser livre. Tal incômodo gerado pela liberdade pode provocar ciúmes e inveja, podendo até levar uma pessoa a querer prejudicar a outra na tentativa de tolhê-la. A Antropologia teológica nos diz que a liberdade é constitutiva da natureza humana e é também uma promessa para que o homem possa reconhecê-la e dedicar-se a ela no seu agir, pois a liberdade é a imagem de Deus inscrita em nós.

A dimensão espiritual do ser humano

A dimensão espiritual do ser humano
leia mais

A dimensão espiritual do ser humano é o lugar da manifestação do sentido para a vida. Ninguém vive sem descobrir um sentido para viver, para agir. Uma pessoa que perde ou não encontra um sentido pode ficar gravemente doente, entrar em depressão e não ter ânimo para nada, pois nada terá sentido. Por isso que tudo na vida precisa receber um significado no espírito, pois o ser humano é um ser de significados.