O horizonte infinito do ser humano

O horizonte infinito do ser humano
leia mais

Uma das maiores características do ser humano é a sua capacidade de transcendência. Esta capacidade faz com que estejamos abertos ao que está além de nós. Isso é possível, porque também fazemos experiência da nossa própria interioridade (subjetividade). Mesmo quando nos deparemos com algo que é “estranho”, ainda assim somos capazes de expressá-lo, pelo menos em forma de pergunta. O ser humano ao se deparar com a sua finitude (origem e fim), ele a ultrapassa, visualizando-se e manifestando-se como um ser de infinitude, percebendo-se como ser transcendente, ou seja, como espírito.

As pessoas livres incomodam

As pessoas livres incomodam
leia mais

Quanto mais uma pessoa é livre mais ela incomoda. Quem é prisioneiro de si mesmo pode ficar absolutamente incomodado quando encontra alguém capaz de ser livre. Tal incômodo gerado pela liberdade pode provocar ciúmes e inveja, podendo até levar uma pessoa a querer prejudicar a outra na tentativa de tolhê-la. A Antropologia teológica nos diz que a liberdade é constitutiva da natureza humana e é também uma promessa para que o homem possa reconhecê-la e dedicar-se a ela no seu agir, pois a liberdade é a imagem de Deus inscrita em nós.

A dimensão espiritual do ser humano

A dimensão espiritual do ser humano
leia mais

A dimensão espiritual do ser humano é o lugar da manifestação do sentido para a vida. Ninguém vive sem descobrir um sentido para viver, para agir. Uma pessoa que perde ou não encontra um sentido pode ficar gravemente doente, entrar em depressão e não ter ânimo para nada, pois nada terá sentido. Por isso que tudo na vida precisa receber um significado no espírito, pois o ser humano é um ser de significados.

Homo religiosus: ser transcendental

Homo religiosus: ser transcendental
leia mais

Nossa existência está intimamente ligada à história da salvação que foi plenamente revelada em Cristo. Esta realidade está inscrita em nós, pois Deus dialoga e se autocomunica em cada ser humano. Podemos nos conscientizar dessa realidade através das experiências que chamamos de transcendentais. Tais experiências são despertadas por questões relacionadas à própria existência da pessoa, que a levam a perceber que faz parte da sua natureza, uma constante busca e uma abertura para o que está “além de si”. Não é uma experiência de puro conhecimento, nasce da vontade de liberdade presente em toda humanidade.

Bioética e a dimensão corporal do ser humano

Bioética e a dimensão corporal do ser humano
leia mais

A vida humana é a referência primordial da Bioética e não se reduz a um puro fato biológico. É preciso ter claro uma concepção de ser humano para estabelecer critérios para as decisões da Bioética. Uma das dimensões que a Bioética precisa conhecer e levar em consideração para sua conduta é a dimensão corporal do ser humano. A maneira de conceber a vida depende do modo de encarar o corpo como suporte da vida. Se o concebemos apenas como objeto, o reduzimos a sua dimensão físico-material, limitando a vida ao seu significado biológico.

A palavra “Deus”

A palavra “Deus”
leia mais

A palavra “Deus” faz com que o homem se confronte com a totalidade do mundo e de si mesmo. Faz com que se sinta criatura, e não o ser como tal. Faz com que pergunte pelo ato de existir, e o porquê da sua capacidade de questionar sobre essas coisas, pois poderia viver como os outros seres que não se dão conta da própria existência.